segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Essa é boa!

"Queres conhecer o Inácio, coloca-o num palácio".
(Barão de Itararé)

domingo, 28 de dezembro de 2008

P U C C A

Hihihi... hihihi... Muito engraçado!!!!!
Visitou-me a emoção. Veio ao cair da noite. Também sem avisar. Sentimentos e sensações desconhecem regras de etiqueta e diplomacia. O mau-humor, visitante indesejado, deu me o prazer de vê-lo "pelas costas".
Chorei. Um choro solto, livre, como há muito não chorava...
"Fica - peço-lhe."
"Sim - mas não muito. Ao amanhecer já terei ido - ela responde."
Adormeço ao aconchego do seu acalanto suave.
E do sussurrar da inspiração que permanece...

C A T I V A R

"Bom dia, disse ele. —Bom dia, disseram as rosas.— Quem sois ? perguntou o príncipe— Somos rosas. — Ah! exclamou o principezinho... E ele sentiu-se extremamente infeliz. Sua flor lhe havia contado que ela era a única de sua espécie em todo o universo. E eis que haviam cinco mil, igualzinhas, num só jardim! Depois refletiu ainda: "Eu me julgava rico de uma flor sem igual, e é apenas uma rosa comum que eu possuo... Isso não faz de mim um príncipe muito grande..."
E, deitado na relva ele chorou. Foi então que apareceu a raposa: —Bom dia, disse a raposa.— Bom dia, respondeu polidamente o principezinho.— Quem és tu? Tu és bem bonita...— Sou uma raposa, disse a raposa.— Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste. — Eu não posso brincar contigo, disse ela. Não me cativaram ainda. —Que quer dizer "cativar" ?— É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços..."— Criar laços ? —Tu és ainda para mim um garoto igual a cem mil outros garotos.E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim.Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim ÚNICO no mundo. E eu serei para ti única no mundo...E a raposa continuou:— Minha vida é monótona. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra.
O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo... — Por favor... cativa-me! - disse a raposa. — Bem quisera, disse o principezinho. Mas tenho pouco tempo e amigos a descobrir e coisas a conhecer. — A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo pronto na lojas. Mas como não existem lojas de amigos, eles não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me ! — Que é preciso fazer ? — É preciso ser paciente. Sentarás primeiro longe. Eu te olharei e tu não dirás nada. A linguagem é fonte de mal-entendidos. Mas cada dia sentarás mais perto... E virás sempre na mesma hora. Se tu vens às 4, desde às 3 eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às 4 horas, então, eu estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade. Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... Assim, o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse: — Ah! Eu vou chorar. — A culpa é tua, disse o principezinho. Eu não queria te fazer mal, mas tu quiseste que eu te cativasse... — Quis. — Mas tu vais chorar ! — Vou. —Então não sais lucrando nada! —Eu lucro, por causa da cor do trigo. —Vais rever as rosas e volta. Tu compreenderás que a tua é ÚNICA no mundo. E ele disse às rosas: — Vós não sois iguais à minha rosa, vós não sois nada. — Ninguém vos cativou e nem cativastes ninguém. —Sois como era a minha raposa, mas eu fiz dela um amigo. —Agora ela é ÚNICA no mundo. —Sois belas, mas vazias... A minha rosa sozinha é mais importante que vós todas. —Foi dela que eu cuidei, ela é a minha rosa! —Adeus, disse ele. — Adeus, disse a raposa. —Eis o meu segredo: Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos. - Foi o tempo que perdeste com tua rosa que a fez tão importante. Os homens esqueceram essa verdade, mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. TU ÉS RESPONSÁVEL PELA ROSA... — Sou responsável pela minha rosa...repetiu ele a fim de se lembrar...
"TU TE TORNAS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CATIVAS" "
(Trecho de "O Pequeno Príncipe" - de Saint-Exupéry)
"O artista é, então, aquele que ainda possui um pouco do espírito da criança e é capaz de se retirar para o mundo da fantasia no momento de sua criação".
Marcelo Marchiori, in Uma breve análise sobre o Pequeno Príncipe

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Visitou-me o mau-humor.
Não avisou que viria mas já era de se esperar, levando em consideração o dia "tenso" vivido ontem.
Oxalá vá embora bem depressa...
A inspiração continua por aqui. Fala-me aos ouvidos principalmente quando estou atarefada.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Um móbile no furacão

Você diz que não me reconhece, que não sou o mesmo de ontem E que tudo o que eu faço e falo não te satisfaz Mas não percebe que quando eu mudo é porque Estou vivendo cada segundo e você Como se fosse uma eternidade a mais Sou um móbile solto no furacão... Qualquer calmaria me dá... solidão Na última vez que troquei meu nome Por um outro nome que não lembro mais Tinha certeza: ninguém poderia me encontrar Mas que ironia minha própria vida Me trouxe de volta ao ponto de partida Como se eu nunca tivesse saído de lá Sou um móbile solto no furacão Qualquer calmaria me dá... solidão Quando a âncora do meu navio encosta no fundo, no chão Imediatamente se acende o pavio e detona-se minha explosão Que me ativa, me lança pra longe pra outros lugares, pra novos presentes Ninguém me sente... Somente eu posso saber o que me faz feliz Sou um móbile solto no furacão Qualquer calmaria me dá... solidão (Paulinho Moska)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Quase uma paráfrase!

Dias atrás recebi uma visita no mínimo inusitada no meu ambiente de trabalho. Era uma sexta-feira, véspera de um evento importante. Preparativos, ornamentação, acertar alguns detalhes... Eis que chega. Ficou ali parado, olhando o movimento de pessoas de um lado a outro. Nos cumprimentamos rapidamente. Algum tempo depois, ele continuava por ali. Observando. Em seguida ajudando um ou outro em alguma tarefa. Fim de expediente. Todos se foram. Todos, menos eu - e ele! Mais algumas horas de trabalho árduo. Eu, extremamente concentrada. Ele suspeitosamente solícito, colaborador... Lá pelas tantas, terminamos. Missão cumprida. Eu, exausta. Ele... Fechamos o estabelecimento. Despedida no portão. Ele pede um beijo. "Ah, sim - claro!" Acertei-lhe um beijo estalado na bochecha. Cara feia! Não era bem isso que ele tinha em mente... A resposta saiu com naturalidade, em tom quase maternal: "Nada de beijo. Vai pra sua casa." "OK; posso te acompanhar até o ponto de ônibus?" "Pode." O ônibus veio. Nova despedida. Um aceno desta vez. Enquanto me acomodava na poltrona mal podia conter o riso. Era só o que faltava!
***************************************
Atiro no que vejo.
Acerto o que não vejo.
****************************************

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

MADRIGAL MELANCÓLICO (Manuel Bandeira) O que eu adoro em ti não é a tua beleza. A beleza, é em nós que ela existe. A beleza é um conceito. E a beleza é triste. Não é triste em si, mas pelo que há nela de fragilidade e de incerteza. O que eu adoro em ti não é a tua inteligência. não é o teu espírito sutil, tão ágil, tão luminoso- ave solta no céu matinal da montanha. Nem é a tua ciência do coração dos homens e das coisas. O que eu adoro em ti não é a tua graça musical, sucessiva e renovada a cada momento, graça aérea como o teu próprio pensamento, graça que perturba e que satisfaz. (...) Nem a tua pureza. Nem a tua impureza. O que eu adoro em ti - lastima-me e consola-me! O que eu adoro em ti é a vida. * Mandei esse poeminha outro dia por e-mail pra uma pessoa. Nem sei se (ele) leu. Espero que os leitores deste blog o aproveitem melhor...

Sobre direitos e deveres

Sábado passado. Noite. Indo pra casa. Van lotada.
Uma garota joga algo pela janela. (papel ou outra coisa que eu não sei dizer). Alguém protesta. Ela abre bem o bocão e despeja dúzia de frases sem nexo. Apertei sap. Apareceu a legenda. Estava lá! Era uma porção de frases feitas "canalizadas" (pobre essa, não achei melhor definição) de um cursinho preparatório. Uma bobageira danada, apenas pra tentar justificar um ato que denota tremenda falta de educação.
Ainda tentei argumentar. Em vão. Ela insistia: " não havia nenhuma cláusula do Direito Penal, Processual, Civil (...) que a proibisse de jogar lixo nas ruas".
Droga! Deve ter sim alguma lei que prevê isso! Nessa hora eu senti uma vontadezinha (ínfima) de entender melhor sobre o assunto pra enquadrá-la num artigo ou cláusula qualquer...
Por fim disse a ela que o bom senso prevalece; até mesmo quando se trata da interpretação das leis.
E calei.

Ela veio

"Visitou-me a inspiração. Veio sem aviso e falou-me aos ouvidos enquanto cuidava de um punhado de afazeres.
Não sei quando vai ou quando volta..."
V. Zion

domingo, 21 de dezembro de 2008

Amo girassóis!

Procurei algo expressivo.
Era isso!

Foto by Miguel Lucena

נַשַׁמוּ נַשַׁמוּ

Resolvi postar algo em língua materna. Nachamu, nachamu A letra está em Isaías 40: 1,2,3 Música: Leonardo Gonçalves Nachamu, nachamu ami Dabru al lev yerushalayim, vekiru eleha Ki mala tsevaa, ki nirtsa avona, ki lakcha kichlaym bechol chatotecha Kol koré bamidbar, panu dérech Adonai Yashru baarava Messilah leloheinu TRADUÇÃO: "Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus.
Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que a sua iniqüidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do SENHOR por todos os seus pecados.
Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do SENHOR; endireitai no ermo vereda a nosso Deus".

Comentando comentários

________________________________ Caríssimo Sr. Sete, Não entendi a assertiva. O que não seria necesariamente bom para uma filha de Sião??? O post? A foto? Suas visitas se tornaram bastante estimulantes. Citações idem. ________________________________ Liliane. Lili. Mana caçula. "Diminuta"... rs Seria eu um acorde "maior" na sua escala? Boa lembrança a da velha vitrola do pai. As minhas alcançam anos ainda mais distantes... Infância boa. Música boa.

Essa é boa!

Estava vendo TV pela manhã. Isso é raro. Meu tempo é escasso, além disso não gosto. Tenho um ou dois programas que acompanho com fidelidade. Só.
Mas hoje me deparei com algo que me fez voltar os olhos. E os ouvidos. Um padre, músico, cantor, filósofo, galã ou a definição que couber(...) - não lembro o nome dele, me atenho aos detalhes relevantes - proferiu uma afirmação no mínimo chocante:
"Os verdadeiros amigos são aqueles que conseguem suportar a nossa alegria... porque na hora da tristeza, até os nossos inimigos choram junto com a gente"
Forte isso.

sábado, 20 de dezembro de 2008

Coisas que eu sei

"Eu quero ficar perto de tudo que acho certo até o dia em que eu mudar de opinião".
(Dudu Falcão)

Outra daquelas...

Noites Com Sol
Flávio Venturini Composição: Flávio Venturini / Ronaldo Bastos
Ouvi dizer que são milagres
Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol
Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol
Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono
Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar
Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar
*** É... realmente eu não ando normal esses dias... "Deixa o sol entrar!!!!!!!" s2 s2 s2

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Carpe diem

Viviane Zion, em "O contador de histórias"
A mensagem de hoje é:
A vida é curta, quebre as regras,
perdoe rapidamente,
beije demoradamente,
ame verdadeiramente,
ria incontrolavelmente,
e nunca deixe de sorrir,
por mais estranho que seja o motivo.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Resposta ao Tempo 
 Composição: Aldir Blanc/Cristovão Bastos
Batidas na porta da frente
É o tempo
Eu bebo um pouquinho prá ter argumento
Mas fico sem jeito, calado - ele ri
Ele zomba do quanto eu chorei
Porque sabe passar e eu não sei
Num dia azul de verão, sinto o vento
Há fôlhas no meu coração... é o tempo
Recordo um amor que perdi, ele ri
Diz que somos iguais se eu notei
Pois não sabe ficar e eu também não sei
E gira em volta de mim
Sussurra que apaga os caminhos
Que amores terminam no escuro
Sozinhos
Respondo que ele aprisiona
Eu liberto
Que ele adormece as paixões
Eu desperto
E o tempo se rói
Com inveja de mim
Me vigia querendo aprender
Como eu morro de amor
Prá tentar reviver
No fundo é uma eterna criança
Que não soube amadurecer
Eu posso, ele não vai poder me esquecer
(Linda, na interpretação de Nana Caymmi)
Tempo, tempo... esse amigo inigualável! Enquanto muitos tentam disfarçar ou esconder os sinais, para mim as marcas são as provas indeléveis de uma história bem escrita.
Essa é música é outra daquelas... Indefiníveis. Provoca sensações e reflexões. Meio "brega" talvez (qualquer dia escrevo uma breve definição acerca do termo, a pedidos).
Não sei o que anda acontecendo comigo, tem algo aqui dentro que não se aquieta. Não sei se é fome (ou "fome de quê", como diriam os Titãs) mas é algo que aquece e gela. Um comichão. Uma expectativa boa. Uma certa dose de ansiedade.
Tenho muito a relatar. Os fatos dos últimos dias, os feitos, os pensamentos. Mas o tempo... Não me permite o luxo. Ah, o tempo... Ele "se rói com inveja de mim!" Isso sim.

Postar é preciso!

Muita coisa ao mesmo tempo agora, entende?
Tudo pra ontem... Nada prá já! Pra variar, passou um furacão na minha vida. Ou fui atropelada por um caminhão, eu não sei bem dizer. Nem anotei a placa!
FESTA. EVENTO. FESTA. RELATÓRIOS. OUTRO EVENTO.
Outros afazeres.
Vezenquando uma leitura de e-mails. Rápida e sonolenta.
"Jesus, apaga a luz!"
Ou acende - já nem sei.
(...)

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

"Somente por amor..."

Cara, tem um tempão que eu tô querendo colocar uma música aki mas tenho medo de acharem meio brega!!!

Ah!!!! Às favas o podem achar. A música é boa e eu gosto!
A Miragem 
Marcus Viana  

Ah! Se pudéssemos contar
As voltas que a vida dá
Prá que a gente possa
Encontrar um grande amor...
É como se pudéssemos contar
Todas estrelas do céu
Os grãos de areia desse mar
Ainda assim...
Pobre coração
O dos apaixonados
Que cruzam o deserto
Em busca de um oásis em flor
Arriscando tudo porUma miragem
Pois sabem que há uma fonte
Oculta nas areias...Bem aventurados
Os que dela bebem
Porque para sempre
Serão consolados...
Somente por amor
A gente põe a mão
No fogo da paixão
E deixa se queimar
Somente por amor...
Movemos terra e céus
Rasgando sete véus
Saltamos do abismo
Sem olhar prá trás
Somente por amor
E a vida se refaz...
E a morte não é mais
Prá nós...

Quase três décadas!

Foi ontem. O dia do meu aniversário. 29 anos, dá pra acreditar??? Lembro bem dos dias em que corria as calçadas da casa da minha avó, caía e ralava os joelhos, os cotovelos, as costas, onde mais tivesse um centímetro cúbico de pele exposta pra entrar em atrito com o chão... Tenho vividos dias muito corridos, muito cansaço (físico, mental, espiritual...), muitos compromissos, muita coisa na cabeça... O dia de ontem porém, foi como que um bálsamo pra minha alma! Nada demais, fiz tudo o que podia, em matéria de trabalho e outros afazeres. Levantei cedo depois de mal dormir. Cheguei de viagem e já embarquei na loucura de uma segunda-feira com agenda superlotada! Que encabeça uma semana de enlouquecer. Minhas olheiras são visíveis... Mas o dia foi bom. Muitas surpresas (boas). Consegui reunir em casa um grupo de pessoas indispensáveis para a minha existência... Fora as ligações, recados no Orkut de gente que eu não vejo há anos e de gente que tá bem próxima... Um oásis no meio do deserto. Fazia tempo que eu não me sentia tão feliz. Não sei bem se "feliz" é a palavra certa... Feliz eu tenho certeza de que sou. Muito! Mas sei lá, acho que a idade adulta tá mexendo muito comigo. rs... 

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Algo mais a declarar?

Nem sei, nem sei...
Eu que já declarei abertamente a minha loucura, já declarei amor a uma porção (ainda que pequena) de pessoas na face da Terra, eu que já dormi cedo e acordei tarde, ou dormi tarde e acordei cedo, que já conheci e desconheci tantos e tantas desse Planalto Central...
Eu que não fumo, não bebo (nada destilado). Nunca usei nenhuma substância "ilícita" (não que eu saiba... tem tanta gente sendo pega em exame anti-doping)! Já gostei de cerveja. Deixei de gostar. É que nem quando você "gosta" muito de um "ex-" e deseja com todas as forças que ele volte atrás na decisão de romper com o relacionamento. Daí, belo dia, você acorda, se olha no espelho e descobre... poxa... eu nem gostava dele tanto assim! Foi dessa maneira com a cerveja. Parei de gostar. Econtrei sabores melhores. E amores melhores também!
Eu que estou prestes a completar 29 anos daqui a alguns dias e (ainda) moro com meus pais, tenho horário pra chegar em casa, não durmo "em casa de amigas" (você acha que pai e mãe caem nessas conversas?????), tenho que dar satisfação dos meus passos e atitudes e paradeiro...
Eu que consegui um diploma de curso superior em uma Universidade Pública mas que até agora não tenho uma vida financeira estável - trabalho muito e ganho pouco - em compensação me divirto muito e me realizo mais ainda com a minha profissão, porque sei que estou plantando sementes e o resultado só será visto daqui a alguns ou muitos anos...
Eu que sofro com a TPM, com as contas a pagar, com os relatórios a entregar, com os horários a cumprir, as rotinas a incorporar, com as orações a fazer, com os telefonemas a dar, as roupa e louças a lavar, as unhas por fazer e os cabelos por alisar (haja formol), os sabores a provar, os filmes assistir, as músicas por ouvir, os desejos a saciar, a fome, o chôro, as dores, os suspiros, as festas, as dúvidas, as roupas, os sapatos, as meias, as inteiras... ... ...
E os acordos e os acentos, e os blogs (dos conhecidos, dos desconhecidos)... e a paixão por um jornalista! Ou por um músico. Cantor. Ator. Produtor. Escritor. Humorista. Vivo. Viva!
E a mãe. E o pé da mãe. Torcido. Quebrado. Inchado. Roxo.
Eu que tô em casa sempre que acontece alguma coisa ruim. Eu que espero ansiosamente o pôr-do-sol, porque o amanhecer eu não vejo - não consigo acordar - durmo quase na hora de ele acontecer.
Eu. Nada mais tenho a declarar.

sábado, 22 de novembro de 2008

2008 - "O ano da virada"


O ano tá chegando ao final... E que ano!
Muita coisa aconteceu... de boa, de ruim, coisa nova, coisa repetida... Choro. Riso. Vitórias. Perdas. Encontros. Desencontros. Sonhos, realidades, frustrações, euforia...
Temos ainda alguns dias. Isso é o bastante para não desanimar e acreditar que ainda há tempo para fazer algumas coisas - ou deixar que elas aconteçam se for o caso de não depender de nós!
O fato é que dezembro está chegando! E com ele o fim do ano de 2008.
Aniversário (ui! Essa palavra assusta uma quase "balzaquiana").
Natal... Sem comentários. Eu não gosto nem um pouco dessas festividades de fim-de-ano.
Virada 2008/2009! Novos planos, novas metas...
Tava comentando há uns dias atrás com uma grande amiga... Deus é um "cara" muito sábio mesmo... Ele criou os dias (com o intervalo de uma noite), as estações, as rotações da Terra, que dão o sentido aos dias/noites e anos... Cada novo dia, cada novo ano é uma nova oportunidade! Um recomeço...
Deus não deve gostar de rotina! Na TV dEle não deve passar filme repetido nem reprise de novela. Cada dia, por mais que tenha a mesma quantidade de horas, é um dia diferente de todos os outros dias (tanto os "passados" quanto os "futuros"). E isso me assusta e fascina ao mesmo tempo.
Que venha o final de ano! E 2009!

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com