quinta-feira, 28 de maio de 2009

Viva la vida

Gosto muito dessa música. Nem sei o porquê. Acho que a sonoridade dela é que me balança por dentro. Tem uns metais interessantes, uns arranjos diferentes da tríade baixo-guitarra-bateria comuns às bandas pop. As cordas também são impressionantes... Dizem que rendeu aos caras do Coldplay um processo por plágio mas eu nem sei direito como foi, sei foi. Mesmo se for, ficou bom...

terça-feira, 26 de maio de 2009

Simples assim...

Cheguei agora há pouco de uma apresentação de uma escola de música daqui de BSB. Fui ver essa neguinha daí do lado tocar - ela, que está iniciando carreira de baterista e por sinal mandou muito bem como sempre.
Na saída tivemos que empurrar o "passatZÃO" vermelho pra fazer pegar - uma aventura só: tio Mário na direção, eu e ela no trabalho braçal. E eu morrendo de achar graça.
Na volta eu olhava o Eixão Sul, pensava na vida, suspirava e me sentia feliz! Como é bom estar junto das pessoas que a gente ama e quer bem! Ter gente como a Tintinha (essa mesmo, que está comigo na foto) fazendo parte da vida da gente. Gente que ri junto, chora junto, leva bronca, dá bronca...
Ser feliz não tem preço, não tem peso, é simples assim... Eu pensava.
E olhava o Eixão Norte, dali do banco de trás a minha discípula que estava sentada à minha frente, no banco do carona, parecia bem maior que eu, parecia um gigante.
Ela que chegou tão pequenininha, tão mirradinha, tão frágil há uns três anos atrás... Que amadureceu (e cresceu um monte)... Acho que é por isso que chega a doer o tantão que eu gosto dela - não está mais cabendo folgada dentro do meu coração. O espaço está ficando apertado!

"Baby"...

amo vc muitãO!!!!!!!!

Tempo

"O que é o tempo? Se ninguém pergunta isso, eu não me pergunto, eu o sei; mas se alguém me pergunta e eu quero explicar, eu não sei mais".
(Santo Agostinho)

domingo, 24 de maio de 2009

Ninja

A Arte da invisibilidade... dentre outras, esta era uma técnica muito utilizada pelos ninjas. É a minha preferida, muito embora eu não consiga desenvolve-la muito bem. Até gostaria mas as minhas características (físicas principalmente - combinadas com um temperamento excêntrico) fazem com que ficar invisível não seja possível para mim. Ou pelo menos não por muito tempo.
A foto eu tirei na ida a uma festa à fantasia. Fui de "ninja". Não que eu ande me esgueirando pelos arbustos, empunhando armas ou escalando muros... Olha que essa última opção é bem cabível! Foi mais por preguiça mesmo de pensar em algo mais "menininha" - fazer roupa e maquiagem que iam dar trabalho pra tirar depois... Pedi um kimono emprestado a uma amiga, professora de karatê, enfiei uma bala-clava... Eu estava me sentindo meio ninja naquela semana... E fui.
Continuando... Quando adolescente, eu achava algumas coisas da minha existência muito inconvenientes, como por exemplo eu ser muito ("muito"?) alta e desajeitada. Não era fácil viver tropeçando nas coisas, esbarrando nas pessoas, entornando jarras de suco, quebrando pratos e copos - e broncas e mais broncas!!! Aff... Com o tempo - e a gente cresce... e amadurece - eu descobri algumas outras qualidades peculiares que compensavam aquelas que eu achava indesejáveis. O bom-humor por exemplo é meu grande aliado na hora em que preciso sair de uma situação desconfortável - na pior das hipóteses eu disparo a rir, nem que seja de nervoso, e se tiver alguem solidário por perto ri também e tudo vira festa!
Andei sumida dos blogs. Parei pra postar alguma coisinha porque a saudade estava grande. O tempo realmente anda escasso e o cansaço é visível, confundido por alguém com tristeza, desânimo ou depressão (de onde as pessoas tiram essas conclusões?)... Tava faltando energia. Eu bem que queria sumir por uns dias, ficar quietinha no meu canto, pensando na vida, economizando uma forcinha mas os dias são curtos, a demanda está maior que a oferta e eu tenho muito a fazer. Muito. Muito mesmo.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

A origem das coisas...

Leite materno é o melhor alimento para o recém nascido. Tem certeza? Dá uma olhada nisso! *Obrigada, Álvaro! Novamente...

sábado, 9 de maio de 2009

Fernando Pessoa III

OK. Prometo que depois dessa paro com isso! rs
Sempre gostei de ler Fernando Pessoa. Esses dias eu baixei uns escritos do Domínio Público e fiquei viajando... Ontem li uma definição bem interessante da maneira bem particular e certeira que ele tinha de escrever: "Interrogando a si próprio, numa poética que nos faz pensar sobre o que vemos, como vemos, que nomes escolhemos para dar às coisas do mundo, o que do outro penetra em nós, muitas vezes sem pedir licença, Fernando Pessoa nos coloca a complexidade que é ver a existência tal como ela é (...)" Foi a Márcia Rosiello Zenker (psicóloga pela USP) quem escreveu isso num dos artigos que compõem um livro que estou lendo. Depois escrevo sobre.
Leia atentamente a descrição que faz do que vem a ser uma espiral...
"A maioria da gente enferma de não saber dizer o que vê e o que pensa. Dizem que não há nada mais difícil do que definir em palavras uma espiral: é preciso, dizem, fazer no ar, com a mão sem literatura, o gesto, ascendemente enrolado em ordem, com que aquela figura abstracta das molas ou de certas escadas se manifesta aos olhos. Mas, desde que nos lembremos que dizer é renovar, definiremos sem dificuldade uma espiral: é um círculo que sobe sem nunca conseguir acabar-se. A maioria da gente, sei bem, não ousaria definir assim, porque supõe que definir é dizer o que os outros querem que se diga, que não o que é preciso dizer para definir. Direi melhor: uma espiral é um circulo virtual que se desdobra a subir sem nunca se realizar: Mas não, a definição ainda é abstracta. Buscarei o concreto, e tudo será visto: uma espiral é uma cobra sem cobra enroscada verticalmente em coisa nenhuma".
E é assim. E eu aqui pensando sobre espirais e uma antiga colega de trabalho (de quem não sinto mínima saudade diga-se de passagem) que dizia que "a construção do conhecimento não acontece de maneira linear - nem vertical nem horizontalmente - mas como num espiral..." E viajei. Assim de ficar pensando longe, olhar fixo em ponto nenhum. Outro dia comentou sobre as minhas "saídas do ar". Eu fiquei olhando sem reagir nem explicar. Mania que gente tem de definir coisas. Não sou tão boa nisso. Gasto todas as cartas da manga, provoco risadas mas no final cada um entende mesmo "como bem entende"...
Gosto de ler F.P.
Ponto final.

terça-feira, 5 de maio de 2009

Fernando Pessoa 2

"O sonhador não é superior ao homem activo porque o sonho seja superior à realidade. A superioridade do sonhador consiste em que sonhar é muito mais prático que viver, e em que o sonhador extrai da vida um prazer muito mais vasto e muito mais variado do que o homem de acção.
Em melhores e muito mais directas palavras, o sonhador é que é o homem de acção. Sendo a vida essencialmente um estado mental, e tudo, quanto fazemos ou pensamos, válido para nós na proporção em que o pensamos válido, depende de nós a valorização. O sonhador é um emissor de notas, e as notas que emite correm na cidade do seu espírito do mesmo modo que as da realidade."

sábado, 2 de maio de 2009

Fernando Pessoa

"Tudo me interessa e nada me prende. Atendo a tudo sonhando sempre; fixo os mínimos gestos faciais de com quem falo, recolho as entoações milimétricas dos seus dizeres expressos; mas ao ouvi-lo, não o escuto, estou pensando noutra coisa,
e o que menos colhi da conversa foi a noção do que nela se disse, da minha parte ou da parte de com quem falei.
Assim, muitas vezes, repito a alguém o que já lhe repeti, pergunto-lhe de novo aquilo a que ele já me respondeu;
mas posso descrever, em quatro palavras fotográficas, o semblante muscular com que ele disse o que me não lembra,
ou a inclinação de ouvir com os olhos com que recebeu a narrativa que me não recordava ter-lhe feito.
Sou dois, e ambos têm a distância - irmãos siameses que não estão pegados."

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com