sábado, 9 de maio de 2009

Fernando Pessoa III

OK. Prometo que depois dessa paro com isso! rs
Sempre gostei de ler Fernando Pessoa. Esses dias eu baixei uns escritos do Domínio Público e fiquei viajando... Ontem li uma definição bem interessante da maneira bem particular e certeira que ele tinha de escrever: "Interrogando a si próprio, numa poética que nos faz pensar sobre o que vemos, como vemos, que nomes escolhemos para dar às coisas do mundo, o que do outro penetra em nós, muitas vezes sem pedir licença, Fernando Pessoa nos coloca a complexidade que é ver a existência tal como ela é (...)" Foi a Márcia Rosiello Zenker (psicóloga pela USP) quem escreveu isso num dos artigos que compõem um livro que estou lendo. Depois escrevo sobre.
Leia atentamente a descrição que faz do que vem a ser uma espiral...
"A maioria da gente enferma de não saber dizer o que vê e o que pensa. Dizem que não há nada mais difícil do que definir em palavras uma espiral: é preciso, dizem, fazer no ar, com a mão sem literatura, o gesto, ascendemente enrolado em ordem, com que aquela figura abstracta das molas ou de certas escadas se manifesta aos olhos. Mas, desde que nos lembremos que dizer é renovar, definiremos sem dificuldade uma espiral: é um círculo que sobe sem nunca conseguir acabar-se. A maioria da gente, sei bem, não ousaria definir assim, porque supõe que definir é dizer o que os outros querem que se diga, que não o que é preciso dizer para definir. Direi melhor: uma espiral é um circulo virtual que se desdobra a subir sem nunca se realizar: Mas não, a definição ainda é abstracta. Buscarei o concreto, e tudo será visto: uma espiral é uma cobra sem cobra enroscada verticalmente em coisa nenhuma".
E é assim. E eu aqui pensando sobre espirais e uma antiga colega de trabalho (de quem não sinto mínima saudade diga-se de passagem) que dizia que "a construção do conhecimento não acontece de maneira linear - nem vertical nem horizontalmente - mas como num espiral..." E viajei. Assim de ficar pensando longe, olhar fixo em ponto nenhum. Outro dia comentou sobre as minhas "saídas do ar". Eu fiquei olhando sem reagir nem explicar. Mania que gente tem de definir coisas. Não sou tão boa nisso. Gasto todas as cartas da manga, provoco risadas mas no final cada um entende mesmo "como bem entende"...
Gosto de ler F.P.
Ponto final.

2 comentários:

Kézia disse...

Gosto apuradíssimo diga-se de passagem.
Fernando Pessoa é um gênio! *_*
Agrada-me seus textos, não precisa parar de postá-los não. ;)

B-joss

Sr. Sete disse...

OK

Fernando Pessoa me convence, apesar de portuguesidade do poeta, me convence.

E to de volta...

Obrigado pelo comentário, muito me ajudou. Vc sabe, questão de ego.

BJO

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com