quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Respostabilidades

Ehhh... estive pensando sobre os comentários que recebi sobre a postagem derradeira com reflexões cotidianas. Resolvi comentar.
Osvjor disse: "eu também adoro o silêncio, mas infelizmente vivo numa cidade extremamente barulhenta e trabalho num lugar idem. é incrível como muitos não percebem o monte de porcaria decorrente do barulho, incluindo o trabalho que fazem e o tipo de diversão fruída. acho que nem meus primos chimpanzés são tão barulhentos..." "Na verdade, eu faço qualquer coisa pra viver em paz!" Essa frase é boa. Parece meu lema, "As amargas, não". Não digo que faço qualquer coisa pra ficar em paz, mas QUASE qualquer coisa eu faço, sim... nada como lhanura da paz, embora tenha sempre um espírito de porco puxando o pé da gente pro turbilhão da guerra...

Obrigada pela visita. Repito: amo o silêncio! Também amo viver em paz! E na mesma hora em que eu estava lendo e publicando o comentário, curiosamente ocorreu uma dessas visitações desses tais "espíritos de porco", querendo provocar alguma confusão e literalmente puxar os meus pés pra guerra. Fiz valer a minha vontade de não brigar!

***********************

Álvaro disse: Fica em silêncio não amor, eu te escuto!

Ai de mim! Quisera eu ter sempre você por perto - não para me ouvir apenas mas para que eu te ouça (coisa que amo fazer)...

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Miragem do porto II

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Miragem do porto
(Lenine)
Eu sou aquele navio
no mar sem rumo e sem dono.
Tenho a miragem do porto
pra reconfortar meu sono,
e flutuar sobre as águas
da maré do abandono
Ê lá no mar
Eu vi uma maravilha.
Vi o rosto de uma ilha
Numa noite de luar
Êta luar
Lumiou meu navio,
Quem vai lá no mar bravio
Não sabe o que vai achar
E sou a ilha deserta
Onde ninguém quer chegar.
Lendo a rota das estrelas,
na imensidão do
por um navio
ai, ai, ui, ui
Que passou sem lhe avistar

Silêncio

Amo! Definitivamente amo o silêncio... Deve ser porque eu trabalho em um ambiente costumeiramente barulhento. Ou deve ser por causa de outra coisa, eu não sei bem. O que sei é que em um ambiente tranquilo eu me sinto mais à vontade, as minhas ideias fluem melhor, consigo ouvir as minhas "vozes interiores". Tenho aprendido tanto... Barulho, confusão, gente falando alto (todos ao mesmo tempo então...) me irrita profundamente! Não que eu tenha algum tipo de fobia ou seja paranoica a ponto de desejar a solidão em vez da companhia das outras pessoas, nada disso! Mas é que a fase pela qual estou passando é introspectiva.
Esses dias várias situações me fizeram pensar sobre. No começo eu tava meio que achando que a minha fase meio "esquiva" era uma fuga ou uma certa covardia. Confrontei as minhas intenções. Não, não é mesmo (e olha que eu me conheço bem - acho)! Mas é como eu disse a uma amiga ontem enqunto voltávamos para casa depois de um dia de trabalho árduo: "Na verdade, eu faço qualquer coisa pra viver em paz!" E esse qualquer coisa inclui, entre outras coisas, até mesmo deixar brigar pelo meu ponto de vista - algumas vezes, não todas! - mesmo tendo certeza de que eu estou "certa". Acho que eu já comentei algo sobre isso... sobre deixar que o outro "tenha razão".
E me calo. Simplesmente. Sem ressentimentos. Vou cuidar de outra coisa, ora! Vou lá me recolher ao silêncio. Amo o silêncio.
"Aprendi com as primaveras a me deixar cortar pra poder voltar inteira". (Cecília Meireles)

sábado, 22 de agosto de 2009

"Em questões tão obscuras e que se acham muito além de nossa visão, encontramos, nas Escrituras Sagradas, passagens que podem ser intrepretadas das mais diversas formas, sem prejuízo à fé que recebemos. Em tais casos, não devemos nos precipitar e assumir uma posição tão firme sobre um lado que, caso um futuro progresso na busca pela verdade abale essa posição, nós também venhamos a cair com ela".
(Santo Agostinho, em Comentário ao Gênesis)
Via de regra....
"Hidratante para a alma são as lágrimas".
"Cada um de nós é chamado para alcançar o outro. Em raras ocasiões isso pode ocorrer em grande escala. Na maior parte do tempo, porém, acontece nos simples atos de bondade de uma pessoa para outra. São esses eventos que realmente importam"

(Dr. Francis S. Collins, em A linguagem de Deus)

Conte até dez e... sábado!

Hoje eu acordei de uma noite mal-dormida, depois de um dia cansativo e de uma semana cheia! Cheia de assuntos e novidades. Cheia de interrogações e cheia de nenhuma delas, é que eu acho que andei com a respiração meio suspensa dos últimos dez dias para cá - continuo cheia de assuntos para escrever mas falta tempo, disposição e o mais importante de tudo: faltam palavras que reflitam o que se passa na minha cabeça. . E eu acordei e notei que era sábado! Sábado geralmente são dias ruins... Não gosto de sábados. Me trazem lembranças ruins. Sábado eu nunca consigo fazer tudo o que eu preciso nem muito menos o que eu gostaria de fazer. São curtos, cheios de compromissos, cheios de possibilidades, as coisas que a gente planeja têm uma probabilidade muito grande de dar errado em dias como sábado. Me fugiu da lembrança o meu último "sábado feliz"! Dias confusos, tensos, que me trazem ansiedade e a única coisa que eu queria era um dia tranquilo... .

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

******************************************
"Cenários desabarem é coisa que acontece". (Albert Camus)
Então... adorei isso! ^^

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Urgência

Pronto! Ela apareceu novamente. Dessa vez após um mergulho profundo, emergiu. Repentina e improvável – aquela sensação de urgência que vem e que vai sem mandar recado nem deixar rastro. Depois de mais de 24 horas sem ver a luz do dia (tanto que hoje pela manhã os meus olhos estranharam um pouco a claridade), enfurnada dentro do quarto na frente do computador. Valeu o sumiço porque geralmente quando eu sumo é que ela aparece. A semana passada foi intensa (em matéria de emoções mas nem tanto de realizações) e por mais que eu tente, alguns acontecimentos não consigo colocar em palavras e é só por isso que o blog anda tão relaxado e mal-alimentado (com hífen?) de escritos pessoais... Vontade eu tenho, histórias não faltam mas a narrativa não me é possível, simplesmente não flui. Não atende. Não corresponde. Não traduz (...). Ainda assim, hoje me ocorreu tentar algo. Dias atrás algumas palavras muito simples me fizeram chorar. Comoveram e tocaram fundo. Quando à noite abracei o travesseiro, chorei até dormir. Estive pensando se as coisas são e estão do jeito que deveriam ser e estar. Não sei bem ao certo nem tenho conclusões. Mas juntei peças importantes do quebra-cabeça. Fez sentido apesar de parecer não ter nenhuma coerência. Compreendi a marcha. Fiquei assustada mas muito contente! Já outro dia me deparei com duas perguntas que me fizeram gelar a alma. Uma delas eu pude “responder” enquanto conversava com a mana na volta do festival de Teatro de Bonecos, no sábado (sobre a outra pergunta é melhor nem comentar pois a resposta não seria assim tão poética, tão bonitinha)... Mas eu disse a ela que para ser feliz (olha só como tudo é muito simples!): primeiro a gente tem que QUERER muito! Desejar com todas as forças... Em segundo lugar, é preciso fazer acontecertrabalhar duro para que essa felicidade tão desejada aconteça. Em terceiro mas não menos importante... trabalhar para que a “felicidade” alcance as pessoas ao nosso redor também... Ah, e isso funciona (pelo menos pra mim) mas é a parte mais complicada, diga-se de passagem. E cria um ciclo (que pode ter efeito contrário também). Acrescente um olhar atento ao comportamento e às fraquezas das pessoas ao redor (isento de julgamentos, naturalmente). Dá certo. Eu sei disso! Mas voltemos a ela: a empolgação que me visitou hoje e que ainda está por aqui. Ela se deve em parte à minha “saída do ar” – onde, ali no meu cantinho eu estudei, li, fiz as minhas observações e anotações pra voltar de lá... diferente. Diferente como hoje. Diferente como sempre. E passei o dia todo (ontem e hoje) ouvindo uma música da minha banda favorita desde sempre. Uma frase não saía da cabeça: “Always pain before the child is born”... Sempre há dor antes de a criança nascer. Sempre (vale a pena ver o vídeo). Ela expressa muito da minha caminhada e jornada diária. Letra e música. Quanto à urgência, à empolgação... Tá por aqui ainda. Tomara que fique por um (bom) tempo! Gosto dela.

Anime-se

É muito mais fácil desanimar quem está animado do que animar alguém desanimado, "murmurento", resmungão... Mas é perfeitamente POSSÍVEL! Vale a tentativa...

domingo, 9 de agosto de 2009

"Conta-te a ti mesmo a tua própria história. E queima-a logo que a tenhas escrito. Não sejas nunca de tal forma que não possas ser também de outra maneira. Recorda-te de teu futuro e caminha até tua infância. E não perguntes quem és àquele que sabe a resposta, nem mesmo a essa parte de ti mesmo que sabe a resposta, porque a resposta poderia matar a intensidade da pergunta e o que se agita nessa intensidade. Sê tu mesmo a pergunta".

Jorge Larrosa, Pedagogia Profana

Linha do Equador

"Se eu tivesse mais alma pra dar eu daria... isso pra mim é viver..."

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Sobre chatice

>>> Do Millôr Fernandes *-*
POEMINHA MAÇANTE - POR QUE NÃO SER TAMBÉM UM CHATO? Sempre sofri O ataque inesperado Do primo chato, Do amigo chato, Do chato ocasional Que nem espera ser apresentado. . E queria saber como (Na certa querendo ser simpático) Teria ele chegado à solidão Da chatidão. . Mas de repente percebi Sem ser doutor Que a chatice é a única doença Que não dói no portador E resolvi ser chato. . Desfaço agora com o máximo desdém De quem tem e de quem não tem. Sei ser blasé diante da maior obra de arte E no teatro ao começar a interpretação, Eu, zás! Me viro de costas para comentá-la Com o sujeito de trás. . Falo alto na igreja E baixinho diante dos que ouvem mal. Bocejo de tédio quando alguém me olha E me visto sempre de maneira imprópria Para a ocasião. . Quando me falam de livro Respondo: "E as mulheres, como vão?" . Nunca ouço o que dizem Falo sempre de mim mesmo Não respeito compromissos E troco nomes a esmo. . Ah, ser chato é muito diferente De suportar um chato Suportar é quase doloroso Mas sê-lo É delicioso! . E o que é melhor,amigo, Todos os chatos Evitam tratar comigo.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

De arrepiar!

domingo, 2 de agosto de 2009

...

É assim que você é pra mim
Como uma pérola que eu mergulhei pra encontrar...
É assim que você é pra mim
Um tesouro que pra sempre eu vou guardar...

Revolução

"Não é uma revolução que pretenda derrubar nada, ou, se derrubar, fará isso de um modo que jamais poderemos imaginar antecipadamente. Serão os poderes silenciosos de morrer, servir, amar e rir, de ternura simples e gentileza gratuita, porque, se alguma coisa importa, todas as coisas importam".
William P. Young, em A Cabana

sábado, 1 de agosto de 2009

Essa vai pro Rodrigo!

"Leitão", fih, óia isso!!!
Sua cara!
Bruce... PERFEITO!

Tá demais!

Pra ouvir alto!

soad - Hypnotize

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com