terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A águia e a serpente

"Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação. Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes, velhos hábitos que nos causam dor. Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que a renovação sempre nos traz." (Autor desconhecido).
...
Por mais absurdo que possa ser, eu sinto que se aproxima um tempo diferente. Desculpe mas eu não me enquadro na definição de "pessoa comum"; eu penso coisas nas quais ninguém pensa, vejo coisas que ninguém vê, me importo com coisas com as quais ninguém se importa, acredito em coisas - e sobretudo em pessoas (!) - nas quais ninguém acredita... Sou uma pessoa desajustada e pessoas assim são taxadas como subversivas, rebeldes - como loucas!
Me consola um pouco ler os escritos de Rubem Alves. Esses dias (após passados os estresses típicos das programações de final de ano na escola), estive lendo um trecho assim: "As pessoas ajustadas são indispensáveis para fazer a máquina funcionar. Mas só as desajustadas pensam outros mundos. A criatividade vem do desajustamento. Imagine que nossa sociedade é louca. As evidências dizem que sim. Estar ajustado a essa sociedade é estar ajustado à loucura. Então, há um tipo de 'saúde mental' que é uma manifestação de loucura. Mas aqueles que são lúcidos, que percebem a loucura da sociedade e sofrem com ela, desajustados, são os que verdadeiramente têm saúde mental".
Volto ao pensamento inicial. Há um anseio profundo na minha alma por um tempo/ espaço diferente. E parece que está próximo, parece que está ás portas, parece que o cenário se configura para um acontecimento, um marco, uma coisa qualquer que eu não sei definir mas sei que é "real".
Estive conversando com uma amiga. Ela sempre me liga: "Passa'qui em casa pr'agente conversá!" Eu vou mas já com o coração saindo pela boca. Sempre tem coisa nova. Sempre uma pulguinha atrás da orelha. Mas por que será que as pessoas que me fazem pensar me causam esse fascínio, essa atração!!??? Conversávamos sobre propósitos de vida, sobre planos, sobre "destinos", sobre amor e ódio. Ela me dizia que não importa o que eu faça, eu não tenho pra onde fugir nem como me esconder - e que tem coisas na nossa (no caso, na minha) vida, que simplesmente vão acontecer - é bobagem ficar correndo, me escondendo. Eu fiquei pensando na águia (o desenho tá terminado e guardado num fundo de gaveta qualquer, esperando a hora de sair). Fiquei pensando na serpente, e de como a interpretação do autor sobre o livro de Nietzsche (de um blog que eu visitei esses dias mas já perdi de vista), e a relação de oposto-complementaridade que pode existir entre os dois animais pode ser interessante... Fiquei pensando, pensando... E ela me disse mais coisas, algumas se perderam nos labirintos da minha mente.
Mas o dia tá chegando. Disso eu tenho certeza. Certeza tão certa que quando ela me disse ontem que o que eu preciso fazer é DESCANSAR, eu ri, de tão simples que era a solução. Mas por dentro eu chorei também, sabendo que essa é a parte mais difícil: DES-CAN-SAR. E deixar que as coisas aconteçam.
Aí vem os dias. Depois que isso tudo passar. Depois que a transformação se completar. Quando enfim eu completar a missão que me foi dada em sonho. Quando eu ouvir os tambores e o som de festa por cima do muro que eu não vou derrubar mas passar pro outro lado, deixando pra trás, e definitivamente, os rastros de uma longa jornada (que hoje, olhando de dentro, parece que nunca termina). Quando completar a renovação, a metaorfose, a transformação que vai me habilitar a voar ainda mais alto em uma segunda (e frutífera) fase de vida...
Tá chegando. Eu sinto isso. Eu sei disso. Eu creio nisso.

0 comentários:

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com