sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O que se passa em Zion

Que semana! Que dureza! Que... A despeito do telefonema apelando um programinha pra essa noite de sexta-feira, o meu corpo e a minha mente não reagiram. Uma semana intensa seguindo o recesso de Carnaval deixa a gente meio desacostumado... Ainda assim não consigo relaxar, não consigo dormir; o mesmo telefonema me trouxe também notícia que não caiu bem nos sentimentos. Claro que disfarcei bem mas bem lá no fundo fiquei "mordida". Agora a ansiedade que há muito tempo não me incomodava voltou a ciscar aqui no meu quintal e eu não estou nem um pouco satisfeita com isso...
Mas toca a falar de coisas boas...
...
..
.
Segunda-feira eu esperei ansiosamente uma volta. Não veio. Achei que depois do Carnaval aquela pessoinha daria as caras pra minha total felicidade mas... nem tudo acontece do jeito que a gente sonha, que a gente quer que aconteça. Não aconteceu! Pelo menos não na segunda. E eu que fiquei o recesso inteiro pensando no nosso reencontro. Até sonhei! Estava certa de que aconteceria exatamente como no ano passado, que ela só apareceu na escola depois do Carnaval. Era uma saudade e uma ansiedade tranquila, uma certeza calma de que as coisas aconteceriam do jeito que deveriam acontecer. Fui pra casa frustrada (na segunda). Foi-se embora o fiozinho de esperança. O "meu girassolzinho" deve ter mudado de escola - pensei - eu não tenho sorte mesmo - continuei pensando... Eu resisto, evito me apegar às pessoas mas exatamente quando isso acontece, elas vão embora. Pra que me preocupar, então? (...) e bla-bla-bla-bla... um montão de lamentações. Na terça eu já tinha até esquecido! A gente vai ficando calejada dessas coisas: vamos lá, despeça-se logo e vai sem olhar pra trás, pra doer menos! Maaaaaaaaaaas... Esse ano não é de lamentações e nem de surpresas ruins. É ano de ver acontecer as coisas que só vi nos meus sonhos... Tomei um choque quando a vi (acho que até chorei) - eu estava descendo as escadas e ela subindo - a minha flor - sorrindo pra mim! AimeuDeusdocééééééuuu!!! Que saudade da minha pimpolha, da minha pupila, do meu pocinho de ternura. Abracei, beijei as bochechas, os cabelos, fiquei olhando pra ela um tempão antes de perguntar sobre férias, sobre as coisas (em ocasiões como essas não se perde tempo com falatórios, é preciso saborear o momento)... tinha um montão de coisas pra falar mas ao mesmo tempo a cabeça foi esvaziando, parece que o pensamento foi todo parar no coração. Ops! Tinha esquecido, eu não tenho mais coração... Aliás, ela é alguém que pode ameaçar a minha plantação de cactos e de jilós!!! Nem tinha me dado conta, é preciso ter cuidado! Mas o que mais me importa é que ela vai continuar ali, pertinho de mim - as fofocas em dia a gente põe com o tempo. Mais importa a presença que a palavra dita.
...
..
.
Daí que no mesmo dia (terça) fui atrás da realização de outro sonho: quase duas horas de entrevista e um sorriso no rosto na hora que saí da sala. Ufa! Parece que as coisas finalmente começaram a dar certo e eu estou aproveitando a fase boa de maneira ainda mais intensa do que vivi os dias de horror. Adoro dar boas notícias!!! O inverso também é bem verdade: saúde restabelecida - meu tratamento termina amanhã, quando vou engolir a última pílula verde. É mais que motivo pra comemorar! E segue o meu laboratório: estou ouvindo, pesquisando sobre as danças circulares. Fiz uma proposta (ousada) à minha chefe - que até agora não me deu retorno - mas se demorar muito procuro outro espaço, outra ajuda. Tem coisa que dá pra esperar, tem coisa que não! Aliás, quando conversei com ela fui logo avisando: "não dou idéias, faço propostas!" É que quem dá idéia nem sempre está disposto a fazer; eu não aprendi assim! Eu aprendi que quem quer fazer não dá idéia: vai lá e faz e eu me propus a FAZER! Vamos ver no que dá.
...
..
.
E foi tanta coisa que nem dá pra contar. Esses dias aconteceu algo estranho: quando olhei no espelho vi outra pessoa - vi a minha mestra, a minha professora de Arte-Educação nos tempos de Faculdade. Tenho tentado entrar em contato com ela, tenho tanto a dizer, tanto a agradecer... as sementes que ela plantou na minha alma estão florescendo... AGORA! Anos depois de formada é que tem me chegado à compreensão o que ela propôs a nós naquela época. Coisa mais desencontrada eu nunca vi, só entendo as coisas bem depois que elas acontecem... mas como eu contava, esses dias olhei no espelho: os óculos, o olhar, o cabelo (a cor e o corte)... Eita que o que eu vi ali era quase uma aparição! É muito bom ter em quem se "espelhar".
...
..
.
Tô acabando. Deixo Lenine com a letra e a música que traduzem o meu estado: O que me interessa.
...
..
.

3 comentários:

Angel disse...

Minha música preferida do Lenine!

Viviane, é bom ler um texto cheio de motivação. Você partilhou um pouco do que foram seus últimos meses, e é ótimo vir aqui e te ver animada, mesmo com as pedrinhas que a vida coloca em seu caminho. E sempre haverão, não é? O jeito é continuar, desviar, tirar uma a uma, e seguir em frente. A sorte é que pelo caminho você vai encontrando pessoas bacanas, algumas até nos dão a mão e caminham com a gente por um tempinho ou por muito tempo. E além disso, é possível ver tantas coisas, lindas e um pouco feias até, mas com cada uma ganha-se um aprendizado.

Lindo post!

Abraços, e bom final de semana.

Viviane Zion disse...

Fase ruim passou! Graças a Deus, graças a mim mesma, graças aos amigos que estiveram por perto pra catar os meus pedacinhos quando tudo foi pelos ares!

Obrigada pela visita.

B-jo.

Viviane Zion disse...

Ah! Sou suspeita pra falar do Lenine!

Amo!

:)

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com