segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Sábado à tarde

Mana chegou do trabalho cansada, como sempre. Falou nada. Deitou e pensou em dormir. Só pensou. Chegou visita em casa. Eram meus tios e minha priminha de sete anos. Movimento lá na sala. Mãe (a minha) praticamente empurra a criança pra dentro do quarto pra falar comigo e eu com medo porque a mana tava encolhida tentando dormir, meio emburrada. Se alguém resolve atrapalhar a hibernação do "urso"... aiaiai! Tive que pensar rápido: cumprimentei a prima cochichando e logo me veio uma idéia mais que brilhante. Pensar só não basta - é preciso agir! Levantei e peguei um caleidoscópio que trouxe da feira na semana do carnaval (acho que cheguei a comentar aqui a respeito da nossa ida a uma feira de artesanato). Pois é... o caleidoscópio foi um achado! Era peça única! Mas antes de falar dele: a experiência com a prima. Entreguei a ela o bendito. Ensinei rapidamente como se usa mas ela é daquelas crianças que dispensam explicações: espertíssima e muito divertida, cheia de presença de espírito!!! Primeira olhada pelo buraquinho, primeiro comentário (ligeiro, contido) e a minha irmã se virou na cama dando uma olhadinha pra ela. Ela cumprimentou a mana com um "oi" assim, sequinho, baixinho, comedido. E olhava e girava. Apontava em direção à janela. E comentava cada vez mais animada. E eu forçava pra não rir alto e não incomodar o nosso "ursinho"... Uma hora não houve jeito: "- QUE LINDO!!!" - foi o que a Luiza exclamou a plenos pulmões enquanto olhava as imagens refletidas no pequeno rolo de papelão com três espelhos, uns pedacinhos de vidro colorido dentro (...). Nessa hora a mnha irmã se virou na cama já se acabando de rir. Não tinha como não rir. Era uma alegria e um deslumbramento que há muito tempo eu não via por coisa tão simples. Daí por diante a tarde foi toda festa com direito a lanche, fotos com nariz de palhaço e etc...
MORAL DA HISTÓRIA: cansaço nem mau-humor resistem a uma criança com um caleidoscópio nas mãos. Ah! E já ia me esquecendo: ensiná-la a pronunciar o nome do objeto foi um show à parte. Primeiro as sílabas separadas, depois a palavra inteira, bem devagarzinho e depois rápido: caleidoscópio!!! Com pouco ela esquecia... e começa tudo de novo. Mais risadas. Mais risadas. Mais risadas...
Então... o CALEIDOSCÓPIO! Fazia (muito) tempo não via um. Foi paixão a primeira vista, na feira, sábado de carnaval, sol escaldante na cabeça. Já havia arrematado uma flauta de buriti e um ganzá supercolorido. Mas o caleidoscópio... hum, o dinheiro não dava! E andamos a feira. Reandamos a feira, Treandamos a feira! Nada de esquecer. Parecia criança! Abre parêntese. Decidi uma coisa; aliás, duas coisas: quando quero me esconder e não ver ninguém, vou ao shopping. Quando quero ver gente e ser vista: vou à feira. Nesse dia eu queria ver - gente, planta, bicho, sol, cachoeira, artesanato e o que mais aparecesse diante das minhas vistas. Fecha parêntese.
Quando estávamos para ir embora, aquela "coceirinha" que quando começa só termina quando coça começou a coçar; o caleidoscópio era a idéia fixa, a coceira que queria ser coçada. Voltei lá e comprei! Adivinha o que as pessoitchas que estavam comigo disseram: "- Você é louca!", assim, em coro, coisa-mais-bunitinha... Louca ou não, voltei lá e trouxe pra mim. Era o último. Tava só me esperando... E fiquei orgulhosa pensando quando faria o teste de apresentá-lo a uma criança dessas dos dias atuais, da era da tecnologia. Aconteceu sábado passado o grande encontro, com a minha prima! A experiência foi ainda melhor que a expectativa. Mal posso esperar pra levar ele pra escola, pra mostrar pros meus pequeninos... ^^
Depois conto como foi.

2 comentários:

Angel disse...

Criança é um barato mesmo! E este caleidoscópio ai? Faz muuuito tempo que não vejo um. Todo lindo o seu.

Você é professora, Viviane? Que lindo! Minha mãe foi alfabetizadora, por 25 anos... :)

Abraços.

Viviane Zion disse...

Ah... esse não é o meu! carreguei a imagem da net; mas o meu não deixa a desejar.

Sim, eu sou professora! Apaixonada por Educação Infantil. Todos os dias eu repenso a minha escolha profissional e todos os dias eu sei que não seria feliz fazendo outra coisa nessa vida.

Shalom.

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com