domingo, 14 de março de 2010

Se tivesse ido eu voltaria... ou não!

Pois bem... essa coisa de blog de certa forma vicia. E eu não alimento vícios. Tenhos hábitos e manias mas quando percebo que algo me toma mais tempo e energia do que deveria, quando desconfio que a minha atenção foi capturada por alguma coisa (ou pessoa) e que está se tornando difícil me abster de tal objeto ou companhia - é a deixa - saio de fininho. Tudo me interessa e nada me domina. Não foi assim que eu aprendi. Eu aprendi que "todas as coisas são lícitas mas nem tudo me convém; todas as coisas me são permitidas mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas" (Isto está escrito na Bíblia, em I Coríntios 10:23). Precisei mesmo daqui me afastar uns dias por vários motivos, um deles, pra saber a quantas anda o meu apego por estas maltraçadas linhas! Outro motivo: gastei tempo sonhando com a viagem a Recife: andei pesquisando preço de passagens aéreas, sondando conhecidos que moram por lá pra não ficar avulsa na cidade e desperdiçar meu precioso tempo... E fiz e refiz as contas, examinei cuidadosamente o calendário. Apesar dos meus esforços ainda não reuni todas as condições favoráveis pra definir a data. No mais, fiquei lendo, e escrevendo, escrevendo e lendo. Conversando com gente, vendo gente, chorando junto e chorando separado. Vezenquando alguém me perguntava (na vida extrablog) se eu não ia mais postar ou atualizar e blablabla... Vou sim - respondia - e toca a falar da vida.
Trabalhei muito estes dias. Muito! O que sobra além da canseira é uma preguiça de dar medo. E fora isso, as pessoas daqui de casa resolveram fazer festa dois finas de semana seguidos: e foi farra gastronômica, porres de Coca-cola com gelo e limão, conversa e mais conversa com a família, com os amigos, sessão de fotos pra Orkut (odeio Orkut, só pra constar!), e mais comilança capaz de fazer até com que eu me preocupasse com o excesso de peso (olha a que ponto chegamos...).
Santiago viajou pra Alemanha. Depois voltou da Alemanha. Trabalho e mais conversas. Dia desses ele me deu um conselho. Pausa. Detesto conselho! Odeio com todas as forças. Não assinei procuração pra fih'dua'égua nenhum dando permissão pra controlar a minha vida! Mas eu andava meio encafifada com umas coisas aqui que não se resolviam dentro de mim, umas desconfianças e umas vontades frustradas que foram dando forma a mais uma crise querendo se instalar nas minhas nada equilibradas emoções... Enfim, aceitei o conselho! Ele me disse pra não me preocupar (aliás, rendeu até post no blog dele, com som de Dire Straits e tudo mais). Além de não me preocupar: parar e observar os gestos, os olhares, as atitudes das pessoas. Ele disse pra me entregar à contemplação silenciosa até que fossem esclarecidas as minhas dúvidas. Batata!!! O silêncio e a contemplação tem me feito muito bem. Principalmente o silêncio! Ele ensurdece as pessoas inquietas ao nosso redor e isso é fantástico.
Como se não bastasse a primeira intromissão consentida, ele foi mais além: me disse pra parar de ler conto de fadas, disse que eu estava precisando de um pouco de realismo literário! Olha que impertinente!!! E me indicou Balzac, A Mulher de trinta anos... Na hora fiquei meio com raiva porque achei que ele tava me sacaneando por causa da minha idade mas fui comprar o bendito do livro e estou terminando de ler. Realmente muito esclarecedor. Vale um agradecimento tímido.
Então... não estou viciada no Blog. Senti falta mas consigo viver perfeitamente sem ele. Pensei até em deletar este e começar outro, com outro nome, outra cor, outros temas... mas desisti. Ah! Apesar de não ter postados esse dias para trás, li tudo dos blogs que acompanho! Isso eu tenho que deixar bem claro. No mais... voltei e até mais.

2 comentários:

osvjor disse...

acho que este foi o primeiro post que eu li seu que deu pra entender quase tudo do início ao fim, tipo, feito pro público externo mesmo, foi como uma prestação de contas, embora essa expressão seja antipática.

é isso mesmo. domine as coisas, e não o oposto. mas também não seja dominadora demais que isso é MEIO aporrinhante pra quem tá em volta...

as balzaquianas são maravilhosas. é difícil imaginar uma idade melhor pra mulher. não tem por que alguém ser sacan*ado por isso. já de Balzac eu nunca consegui gostar...

Recife é muito bom (tem lá a mais antiga sinagoga do Brasil, ou das Américas, sei lá, linda), Olinda também é linda e melhor ainda é dar um pulinho a Porto de Galinhas. Até hoje minha filha se lembra de quando a gente se sentava na varanda do hotel e ficava vendo a lua sobre o mar em Porto de Galinhas. Abril seria uma ótima época pra ir pra lá, porque o regime de marés estará favorável. ou seja, pelo menos nos primeiros dias do mês, a maré estará baixa a partir de horários como 9h, 10, 11h, e é na maré baixa que dá pra aproveitar as piscinas naturais... mais detalhes na tábua de marés do Porto de Suape.

t+

Angel disse...

A única coisa boa quando amigos blogueiros se afastam é que voltam com muitas novidades... :)

Ausência produtiva, principalmente pela cia da família. Contato humano é bom e faz bem, coisa que nem de longe a gente tem na internet.

Bem-vinda novamente, Viviane!

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com