sábado, 31 de julho de 2010

Aforismo do dia


"Não há normas. Todos os homens são exceção a uma regra que não existe."

Hoje saí pra passear com uma amiga muito querida. O dia começou meio estranho, meio "errado", meio... sei lá, parecia que tinha alguma coisa, alguma conspiraçãozinha no ar para que as coisas não acontecessem do jeito planejado e por aí foi: do horário de acordar a queimar o dedo na chapinha (!) logo após constatar que o cabelo também não tinha ficado do jeito que eu queria. Cheguei (muito) atrasada ao compromisso mas a Lya é muito tolerante (comigo) e não ficou (muito) aborrecida. Olhamos lojas no shopping (só pra registrar, eu DE-TES-TO shoppings centers), lanchamos e jogamos conversa "dentro". Passamos numa livraria pra olhar uns volumes e ao folhear um livro de aforismos do Fernando Pessoa dei de cara com esta pérola aí de cima! Valeu o dia. É mote pra minha imaginação daqui até os próximos cinco dias (pelo menos).

Misantropia?

"Todo gênio (que conheço) é solitário;
Popularidade é coisa pra gente de pouco brilhantismo."
Eu, Zion.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Nunca subestime

Resumo da semana


- E aí Vivi, tá estudando pro concurso?
- Não.
- Tá lendo algum livro?
- Não.
- Mexendo com as coisas da ONG?
- Não.
- Tá fazendo o curso?
- Não. Tô de recesso ainda.
- ???
- Acho que injetaram em, mim o DNA do bicho preguiça.
- !!!
- Ou então eu nasci na espécie errada (pausa). Inverno... se eu fosse urso, bem podia estar dormindo hora dessa.
- Putz!

sábado, 24 de julho de 2010

A vida é feita destes pequenos momentos...


Postagem especial. Momento especial. Minha respiração está suspensa,
tem um não sei o quê entalado na minha garganta que eu tô segurando
pra não deixar sair, desde que voltamos da casa da vó.
Deixa pra amanhã depois que ela embarcar...
Amanhã eu choro, hoje não!
Só quero que ela saiba que a importância que tem na minha vida
é algo completamente indizível por meio de palavras.
E que é diretamente proporcional ao orgulho que tenho da pessoa,
da mulher, da profissional, da amiga, da irmã que ela é!
Não cabe narrativa.
A meta da semana passada eu alcancei esta semana:
os últimos três dias foram acrescentados ao rol
dos melhores dias da minha vida.

PARABÉNS TANINHA!!!!

Rob Thomas - Little wonders

"Nossas vidas são feitas
Desses pequenos momentos
Desses pequenos milagres,
Dessas mudanças e voltas do destino
O tempo passa,
Mas esses pequenos momentos,
Esses pequenos momentos permanecem..."

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Aulas de Inglês


Era pra ser uma noite comum, uma noite igualzinha a todas as outras em que saio do trabalho e me dirijo a algum outro lugar pra fazer alguma outra coisa. Mas  coisa boa desta vida: o fator "surpresa" às vezes entra sem convite, muda a ordem, muda as cores - ou põe tudo em seu lugar. Cheguei no curso cansada, desabei na cadeira, preparando o corpo, a alma e o espírito para suportar duas horas de sabatina que antecederiam a esperada e merecida chegada em casa: pra ver a mana, pra ver a mãe, pra deitar e dormir uma horinha que fosse, afinal, o dia seguinte seria difícil... Mas não, não foi nem de longe o tormento que imaginei; o destino (?) - talvez o acaso - tem o poder de proporcionar encontros especiais. E eu caí nos encantos, como que sob efeito de uma droga qualquer: duas horas passaram voando.
(...)
Às vezes era eu quem ria, outras era ele quem caía na gargalhada com as minhas bobagens. O stresse misturado com o cansaço das doze horas trabalhadas durante o dia somado à ansiedade e o medo de não dar conta me fizeram alvo fácil pro fracasso. Mas não, não foi assim, ruim - pelo contrário! Nem pensava que colocar em dia as minhas lições pudesse ser tão divertido, dadas as minhas condições físicas e mentais; e era assim: eu errava, pedia desculpa; ele repetia a sentença e ria; eu agradecia e ria, ria, ria... Tinha horas em que ele ficava "vermelhinho" com as minhas respostas pra lá de espontâneas e a vontade que dava era de saltar por cima do balcão que nos separava e beijar-lhe as bochechas ruborizadas.
(...)
Fim da aula. Ainda tive o privilégio de conversar mais um tempo "extra-classe".  Jesus, como eu sinto falta destas coisas! De desfrutar do tempo em boa companhia... Fui pra casa flutuando; dormi levinha (ainda mais do que já sou), rs e feliz da vida! Conquistei um novo amigo.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Especialmente pro pequeno Davi

Preta,
preta,
pretinha
...

Do que se aprende e do que (se) ensina

Semana passada eu estabeleci uma meta. Assim que entrei em (micro)recesso, fiz não-pequena lista do que tinha pra fazer, viabilizei algumas ações e corri atrás. Um amigo disse uma vez uma expressão engraçada: "Vivi. agora é dar o tiro e correr atrás da bala!" Tipo isso o que fiz, mas especialmente, escrevi num papel a grande meta da semana e colei com fita crepe na porta do meu guarda-roupa. Ficou e ainda está lá. Só eu e mais meia-dúzia de pessoas (que tiveram acesso ao meu quarto nos últimos sete dias) viram. Meta estabelecida é meta cumprida! Bang! Não mesmo. Não foi o caso. Não foi. Em porcentagem otimista, talvez uns 60% cumprida - a meta; não mais. A semana engatou outra e ficou muita coisa pra fazer e a meta a cumprir. Diacho!

Um grande amigo me ensinou (algo) efetivamente sobre essas coisas de se trabalhar com metas. Me ensinou a estabelecer as metas e a (talvez) descumpri-las todas. Antigamente eu não tinha costume de fazer planos, ia vivendo - e vendo no que dava. Uma crise no  final do ano passado me levou a procurar este amigo, que me ensinou a estabelecer os alvos. Não que eu não tivesse ouvido tudo aquilo antes, não é coisa incomum as pessoas te aconselharem a fazer uma lista: de atividades, de compras, de isso ou de aquilo... Só que a ocasião me fez aprendiz em potencial. Me vejo sentada na mesa da cozinha (ou do café da esquina - foram várias sessões de "terapia intensiva", rs) com papel e caneta à minha frente e ele insistindo: "Vai, anota aí o que vc quer pra 2010!" Coisa mais absurda não havia. Mais absurda que a insistência era a minha incredulidade! Mas fiz. Com dores mas fiz. Muito a contragosto fui anotando as coisas do ano passado que eu quis fazer e não dei conta, por acomodação, falta de oportunidade ou de vontade mesmo, sei lá... fui cortando algumas e transferindo outras - inadiáveis. Desenterrei alguns sonhos e fui listando. Lá de longezinho uma chama se acendeu dentro de mim.

Quando, depois de dias, olhei a lista (terminada): chorei. A meta (só) era (já) uma grande realização! Pus-me a trabalhar. E a pensar e pensar. A escrever e a escrever. Meio do ano chegou e eu nem lembrava mais da lista de metas. Do amigo, sempre; da lista, nem tanto. Grande parte do que coloquei no papel está em pleno andamento. Pouquíssima coisa ficou tão distante que ainda não possa ser conquistado ainda neste ano! Como sempre digo: realizar sonho custa (muito) caro! Mas a sensação de "ver o fruto do penoso trabalho não há preço que pague... Cansaço de sobra, muita coisa ainda pra desembaraçar, pra colocar em dia mas nem de longe a sensação derrotista. Lição vivida e apreendida!

Metas são importantes. Talvez eu retire o papel verde grudado na porta do armário. Talvez não. Não posso deixar de dizer que a mesma pessoa que me ensinou a estabelecer metas foi a mesma que me ensinou (vivendo) que as metes também não podem nos controlar nem tirar a paz. Deixa o papel lá por enquanto. O que tentei - e não deu certo - é o que me incomoda menos...

Um dia eu chego

A finalidade subjetiva é pensada antes de ser sentida.
(Immanuel Kant)

domingo, 18 de julho de 2010

Personalidade X Caráter

Dr. Magnus Amaral Campos** explica:


Personalidade é a VONTADE dissimulada pela RAZÃO. Ela é modificada diariamente ! E é modificada exatamente pelo fato de os seres humanos estarem sempre querendo tirar algum tipo de vantagem de outro ser humano. Assim, quando um ser humano quiser algum tipo de benefício de outro vai tender a parecer o mais possível amigo daquela pessoa . Assim , quando ver a pessoa, vai tender a falar " Meu querido amigo, andei pensando em você o tempo todo que não nos víamos - como está você ? Espero que esteja bem ! ".
Bem lá no fundo, mais tarde, ele vai pedir algum tipo de favorecimento qualquer, mas ele usa de uma máscara ( personna) para que a outra pessoa não saiba de sua real intenção. O ser humano é assim - falso por natureza ! Assim, uma pessoa vai dar um sorriso para você e quando você se aproximar, ela vai te dar uma facada e te atraiçoar bem pelas costas.
PERSONALIDADE - é a Vontade dissimulada pela razão - a palavra personna é a máscara usada em teatros . Diferente dos animais. Se um cãozinho te ranger os dentes é melhor você não se aproximar. Se ele te abanar o rabinho, fique à vontade ! O ser humano muitas vezes te sorri e frequentemente " te morde " ! Cuidado !
E como a VONTADE da pessoa varia diariamente, a PERSONALIDADE da pessoa tem também variação diária, até a sua morte . Ela não está formada, como se diz aos 18 anos de idade. Ela modifica sempre, até o fim da vida. Não confundir personalidade com caráter, que é imutável e característica da pessoa, indiferente das mudanças do meio ambiente.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Dá uma ligada nessa figura! rs

quarta-feira, 14 de julho de 2010

O que tem pra hoje

Dr. Magnus (Amaral Campos, procure no Google) disse certa vez que quando a gente quer convencer alguém, deve lançar mão da dor. Ser humano não se convence através da lógica. Hoje compreendo isto!

1975, janeiro, 2

Reflexão do dia. Não existem mais crianças. Todas são terrivelmente adultas. A televisão lhes conferiu maioridade, à revelia das leis e do desenvolvimento natural.
Também quase não existem mulheres. A maioria acha que, imitando os homens, conquistam independência. Sacrificaram graças específicas e não alcançaram independência. Muitas são objetos sexuais, que vêem nos homens objetos sexuais. Valeu a pena?
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Não, não é de minha autoria. É de Carlos Drummond de Andrade. Li dia destes, num diário publicado livro.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Crepúsculo


Carol (Venturini) reclama: "Mas Vivi, vc não leu os livro e nem viu os filmes! Não pode criticar!"

Também a minha irmã (Diminuta) fica brava se a gente sacaneia com Harry Potter, a saga Crepúsculo, Senhor dos Anéis e outras febres teens.

Tá, tá bom. Eu não li. Nem vi. Mas gostei do protesto do guri. Tem (muito mais) coisa que não faz (nenhum) sentido nessa vida. E postei o vídeo não por causa do filme mas por causa do guri, que é muito despachado. É isso. Só.

Satisfeita agora, Carolina???

terça-feira, 13 de julho de 2010

Maninhaaaaaaaaaaa!!!!


São apenas 1.908 km de distância.
Chora, Zion, chora...

P!nk feat John Legend - Don't give up

Óia a pergunta que ela me fez...


Tava despachando uns relatórios em casa, preenchendo as minhas tabelas (jornada tripla de trabalho é coisa pra gente bruta). Por volta das 23:30h chega uma mensagem da Neguinha com a seguinte pergunta:
"Vivi, mas por que mesmo o Pequeno Príncipe deixou o planeta dele?"

Ah, vá... pára com isso! E lá é hora de me mandar questão como essa, pelamordeDeus???!!!
Passaram uma dúzia de respostas pela minha mente mas nenhuma delas satisfez a minha curiosidade. O meu impulso foi de saltar dali mesmo até a estante e reler o livro em poucos minutos pra ligar pra ela e dar cabo de tal investigação filosófica. Mas não! Permaneci sentada. Nem fiz coisa nem outra (acabou-se a disposição pra continuar o trabalho). Mergulhei numa contemplação séria, nem percebi a madrugada se aproximando. Quando me dei conta, hora já avançada, fui dormir.
Mas que coisa! Sei lá porque o Pequeno Príncipe deixou o planeta dele, oras!!!

Recesso

Descanso é para os inquilinos do cemitério!
Aqui em Zion enquanto descanso, carrego pedra.

sábado, 10 de julho de 2010

Não Faz Sentido! - Crepúsculo

Caracas, ri muito!!!

Tava almoçando com um casal de amigos e ele me passaram a indicação...

Bom dia, dia!

"Eu não sei
o que dizem os astros,
nem as cartas do Tarô;
mas eu sei
que Deus me deu a vida
pra valer a pena!"

(letra do Kleber Lucas)

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Quase um haicai

Amor é miragem;
contemplamos ao longe,
perto chegamos:
desvanece.

por Zion

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Muito bom

Derradeiros

Brasileirinha

Mexicano

Português

Italiano.
 São os últimos, por enquanto.

domingo, 4 de julho de 2010

Domingo

  Amo, amo, amo, amo, amo, amo...  

Beatles - Here comes the sun

Sábado

Deu Alemanha!
Haha...
Sem comentários...

Sexta-feira

Deu Holanda!
Eu sei que hoje é domingo mas é que sexta pra cá, só hoje consegui parar.
Vida anda corrida.

E tem mais: nesse eu descaprichei; fiz às pressas. Não é dos melhores mas como prometi postar, posto.

Um salve pro Felipe Melo!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Primeiro, dia primeiro

Dia difícil, pra variar. Vida de pernas pro ar e por falar em ar, está cada vez mais difícil respirar por aqui. Anteontem (eu acho) li uma postagem de um blog cativo daqui de Zion e muito querido e fiquei pensando... O tema da postagem era suicídio. Fiquei pensando em suicídio (mas não em ME suicidar, calma!). Pensando em dores na alma. Dores capazes de fazer a pessoa desistir de (ainda) estar por aqui. Pensei em um monte de coisas mas os meus pensamentos são assim, tipo aqueles velocistas olímpicos - quando me dou conta já se foram e eu não consigo sequer acompanhar (que dirá "capturar").
E lembrei de um amigo que completa mais um ano de vida hoje. Amizade tão antiga quanto a própria vida da gente, tão louca e desenfreada. Engraçado, que como de todas as datas importantes, eu sempre esqueço do dia no aniversário dele. Sempre. Quando me lembro já se passaram dias ou meses. Ah, a minha memória... Esse meu amigo tentou suicídio duas ou três vezes, não me lembro exatamente. Lembro que na última dessas, eu liguei pra ele do nada e ele estava se recuperando.
Nos conhecemos na sétima série, com doze ou treze anos de idade. Escrevi junto com ele o meu primeiro texto de teatro. Era uma esquete simples, montamos com a ajuda da professora (maravilhosa): texto, figurino, cenário, ensaios e foi tudo muito intenso e lindo. Escrevemos, preparamos, ensaiamos e encenamos juntos. Estudamos na mesma sala ainda mais um ou dois anos, depois ele reprovou e mudou de horário, de sala, depois de escola e... acabamos nos perdemos de vista. Ficou a lembrança daquele menino alto, imberbe, com um timbre de voz inconfundível, lindo e talentoso. Que frequentava as aulas usando aquela bermuda jeans até o joelho e lentes de contato azuis. Que fazia um monte de desenhos obscenos no quadro-negro, que era verde. Certa vez pulamos o alambrado do colégio (acho que pra matar aula) e eu (que não tenho a menor vocação pra malandragem) tropecei num graveto, tirei um talho da perna e a cicatriz existe até hoje...
(Muitos) anos depois, estava eu vasculhando sites de companhias de teatro, encontrei nome e telefone da criatura nos contatos de um grupo daqui de BSB. Coração chega pulou! Liguei e era ele mesmo. Muito bom reencontrá-lo depois de tanto tempo. Mas nem chegamos a nos ver na época. Apesar do convite que me fez (a participar de uma oficina de artes cênicas que começaria dali a alguns dias). Nessa época eu tava no terceiro ano da faculdade, fazendo estágio e mexendo (como de constume) com mais um milhão de coisas. Não deu. Mas conversamos bastante por telefone durante alguns dias. Depois nos perdemos novamente.
Mais uns dois ou três anos, fui trocar de aparelho de celular e encontrei o número do dele. Liguei. Trocamos MSN e passamos a conversar via internet. Se bem que eu nunca fui muito fã de bate-papo eletrônico... Um dia entrei e ele estava on-line. Puxei conversa (por sinal, tinha passado já o dia primeiro de julho do ano e eu havia esquecido). Foi aí que ele me pôs a par dos acontecimentos, da depressão, das tentativas de suicídio, enfim...
Mantivemos contato e como eu estudava perto de onde ele morava, um dia fui vê-lo. Conversamos horas. De lá pra cá acompanhei meio que de longe a trajetória. Mas sei que ele começou e trancou a faculdade de Psicologia "trocentas" vezes, depois trancou definitivamente e foi estudar Artes Cênicas. Quando enfim, se formou, descobriu que a "praia" dele era totalmente outra e foi trabalhar em um ramo inusitado (que eu não vou contar, fique com curiosidade) onde continua até hoje.
Mas surpresa mesmo fiquei quando comecei a estudar Inglês pra botar adiante uns projetos pro início do ano que vem: enquanto passava a lição na biblioteca, escutei a voz mais do que familiar vindo da recepção... Só podia ser - e era. Corri até lá feliz da vida e me pendurei no pescoço, matando a saudade. Mudou nadinha! De quase vinte anos pra cá, só os fios de barba foram acrescentados ao rosto, o restante pra mim, continua igualzinho... Nos falamos há uns quinze dias. Marcamos de nos encontrar e meia-hora antes torci o tornozelo (que nem bem tinha cicatrizado da primeira torção). Liguei desmarcando, morrendo de pena. Ficou pra outro dia.
O bom mesmo é que esse ano eu lembrei! Mandei recado ontem, pra garantir caso esquecesse mais uma vez. Mas hoje lembrei e mandei outro. Que bom que eu lembrei! Que bom que ele existe... É um cara que tem o dom de ANIMAR os outros, de soprar vida nos sonhos alheios. Do tipo de pessoa rara capaz de se alegrar com o sucesso dos outros. Dia desses fui pedir uma "consultoria" pois quero montar uma oficina de teatro com adolescentes e ele espantou pra bem longe os meus medos dizendo: "Vai e arrasa!" Ele tem o melhor abraço-amigo que eu conheço e um coração pra lá de grande... Que bom que as tentativas de suicídio falharam e eu posso contar com ele vivinho da silva hoje, estando longe ou perto.
Parabéns!
Amo.

Quinta-feira

Vamos de África outra vez!!! Mais um da série. Se o Brasil amanhã ganhar da Holanda, posto a Carmen Miranda. Caso contrário, posto a holandesinha carregando um ramalhete de tulipas. Hehe...

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com