domingo, 30 de janeiro de 2011

Confesso: eu furei o seu olho!


Tá, tá bom eu sei que não é o melhor momento pra fazer uma revelação dessa importância mas vou contar mesmo assim: furei o seu olho! Lembra da festa junina da escola, quando a gente tinha uns 17 anos? Pois é, era o nosso último ano no colégio, adrenalina a mil, muitas amizades e intrigas rolando, hormônios a todo o vapor e algumas latinhas de cerveja (que não são desculpa, pelamordeDeus, eu não quero me justificar, apenas confessar)... Aquele namorado seu era um negócio, né, minha santa?! Loiro né? Altão... jogador de basqute, não era? E tinha olhos verdes (ou eram azuis)? Pôxa... Era o sonho de consumo de dez entre dez meninas daquela escola. Mas você era monopolista e eu não achava isso justo! Imagina só uma riqueza daquela concentrada, limitada às suas mãos... não poderia ser! E eu tava por lá observando o movimento. Vocês brigaram naquela noite. E eu olhando de longe. Ah, a porção abutre em mim falou mais alto! Vi quando você foi embora (chorando). Fiquei triste - sério mesmo, nós sempre fomos muito amigas... O quê?! É verdade, ora bolas! Não me olha agora com esse olhar censurador, já que se foram uns quinze anos e eu sempre quis te contar mas nunca tive oportunidade. Toda vez que a gente se falava era: "Desculpa mas eu tô ocupada". Disso aí você nem pode me culpar pois eu até que tentei... Então, você foi embora e eu fiquei, quer dizer "nós ficamos", quer dizer... Ah, deu pra entender, né? Mas eu que tomei a iniciativa viu? Foi ele não! Tava lá tristinho no canto, conversando com aquele amigo dele, o... ah, 'cê sabe de quem eu tô falando! Ele tinha um apelido engraçado, era... era... Bom, não interessa o apelido do amigo. O fato é que eu furei o seu olho, beijei o seu (quase)ex-namorado(na época) e voltei pra casa feliz da vida. A ficha só caiu na segunda-feira quando você resolveu desabafar comigo (amiga que éramos) e contou sobre a crise no relacionamento, sobre a briga - e chorou no meu ombro. Eu bem quis falar no dia mas fiquei com pena. Situação chata! E veio o fim do namoro. Pois é... eu e ele nunca mais tivemos coisa alguma. Nós duas continuamos amigas - isso até o fim do ano, depois cada uma tomou o seu rumo. Pra mim estaria tudo normal se vezenquando eu não sofresse com uma crisezinha de consciência: "Poxa, furei o olho dela..." E olha a que ponto eu cheguei, de tanta necessidade de confessar essa mácula - publicar aqui no blog a minha culpa: sim, por mais que doa (ou não) eu furei o seu olho! E é isso. Sem mais.


3 comentários:

Kézia disse...

Hihihihihi
Pobreziiiinha dela... rsrs

Muito bom, muito bom, ri demais! XD

Mini-Chef disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK POTAQUEUPARIUUUUU!!!!!!!!Vc é ótima!!!!!!!!!!!!!!!!!Amo vccc!!!

Carol Venturini disse...

Menina, que essa história contada pessoalmente é de rachar de rir!!! Eu já tive o privilégio de ouvi-la... kkkkkkk

Taí a minha amiga: uma fantástica contadora de histórias... realmente admirável!

Beijossss

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com