segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O eterno e o hoje


Uma imagem tão simples... Diz muito. É que eu estava aqui organizando os pensamentos antes de finalmente entrar no mundo de Morpheu. Muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, como sempre foi e talvez seja para sempre nessa minha vida absolutamente incomum.

Hoje foi dia de hospital, de medicação, de matar serviço e de atestado médico. Nada demais. Uma faringitezinha viral chateou um pouquinho mas depois de tanto dengo e medicação correta está em processo de superação. Foi dia também de surpresas (boas e ruins): foi dia para chegar ao quarto do doente e descobrir com o coração sobressaltado que este acabou de ser transferido para a UTI, foi dia de visitar uma UTI descobrir desolada que as pessoas não estão nem aí com o estado de saúde (ou de doença alheios). Foi dia de reconhecer que muitas vezes, mesmo sabendo "o que fazer", não podemos tomar a frente das ações; é necessário também deixar que as outras pessoas vivam intensamente as suas dores, tenham as suas próprias experiências com as situações desfavoráveis.

E foi dia também de descobrir que eu esperaria o tempo necessário, que dedicaria a minha vida e os meus dias para fazer feliz quem me tem feito tanto bem... Foi dia de olhar assombrada novamente e ter a sensação de o estar vendo pela primeira vez. Foi dia de me apaixonar de novo pelo simples e extraordinário jeito de ser. Foi dia de ficar brava e ao mesmo tempo enternecida por causa da capacidade de se doar, de cuidar, de se fazer presente nos momentos (bons e maus). Não gosto que faça "sacrifícios" por minha causa mas reconheço que é infinitamente melhor tê-lo por perto.

Foi dia de abraçar e falar bobagens; também de conversar coisas sérias. Dia de tirar uma segunda via do documento de identidade pra poder viajar tranquilamente em Janeiro. Dia de tomar chá de cadeira, eperar-esperar-esperar-esperar; foi dia de passar perrengues em trânsito, de ver estragos feitos por acidentes de trânsito... Dia de ir ao teatro, de almoçar juntos, de caminhar pela rua de mãos dadas...

(...)

Foi de me ver ainda mais envolvida. E mais agradecida ainda, por estar vivendo um momento assim tão especial.

0 comentários:

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com