quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Viver dá medo

Sim, é isso: viver me causa um estranhamento enorme! E causa medo!

De ontem pra hoje quase nem consegui dormir, tive sonhos entrecortados com pensamentos e delírios; não sei se pensava ou se sonhava tinha horas. Precisava levantar cedo mas um elefante invisível pesou-me sobre as costas desde a hora em que o despertador anunciou o fim do sono sem culpa.

Lá pelas tantas fiz força e levantei da cama meio zonza, meio sem saber direito quem sou. Não, eu não bebi... também não fiz uso de material entorpecente (lícito nem ilícito). Nem sei explicar direito o que se passa pela minha mente agora. É um estado de confusão mas ao mesmo tempo de certeza muito grande. Recentemente postei algo sobre ambiguidade - seres humanos são mestres nisso: em ser e não ser ao mesmo tempo.

O fato é que durante longos (e dolorosos) anos, empreguei todo o esforço e todo o desejo que eu tinha para conseguir algumas coisas que eu queria mais que muito. Estive aqui conferindo a lista: eita! Descobri que muitas dessas "coisas" já me foram acrescentadas e que outras estão muito perto de serem alcançadas! Poxa, que tenso...

Tenso porque deu um trabalhão chegar até aqui, tipo: sangue, suor e muitas lágrimas...

Tenso porque a gente vai analisando as coisas, vendo que o tempo não perdoa e passa rápido, de dá conta que tudo por aqui é muito fugaz, a existência é como um sopro leve e absolutamente frágil...

Tenso porque dá um medão de as coisas acabarem assim, de uma hora para outra. Se a gente se acostuma até com coisa ruim, imagine então com um monte de coisas boas acontecendo na nossa vida. Fico com medo de estar me tornando mal acostumada, de daqui a algum tempo, quando os maus dias chegarem (e eles sempre vêm, para todos, pode ter certeza), eu não saber agradecer e aceitar com serenidade as coisas...

Eu sei que o meu lema é carpe diem, que é uma bobagem ficar remoendo e me preocupando (tanto) com coisas assim, com o dia de amanhã mas é que eu precisava deixar registrado aqui um pouco de tudo que tem rondado os meus pensamentos nas últimas horas.

Sim, eu estou muito feliz. Mas confesso (meio abestalhada) que tudo isso dá (muito) medo também. E viva a nossa capacidade extrema de viver as ambiguidades!

(Disso eu falo com toda a propriedade)

0 comentários:

Sejam bem-vindos!

Mi casa, su casa...
 
Copyright 2009 Viviane Zion. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Download Royalty free images without registering at Pixmac.com